Arquivo de Setembro, 2010

Os gatos nascem das árvores

Posted in Uncategorized on Setembro 24, 2010 by jtparreira

As árvores que eu vejo em vez de fruto dão pássaros

Ruy Belo

 

Centauro oposto ao mito

espera

o gato espera ser admitido

pela academia das ciências

– o gato não emana das árvores

o gato é aqui o focinho

pontiagudo, a ponta

de um ramo da árvore, sem tumulto

como os pássaros, o gato

alto-relevo de si próprio

nasce do silêncio vegetal.

24/9/2010 

Anúncios

Fim do Verão

Posted in Uncategorized on Setembro 22, 2010 by jtparreira

Vamos enfim atravessar a praia
sem cruzar braços, pernas
fotográficas e seios
como montículos de areia.21-9-2010

Receita para fazer uma rosa

Posted in Uncategorized on Setembro 19, 2010 by jtparreira

woman flower c/montagem de título por Clo

Como se faz uma rosa, a rosa
imensa, com pequenos pólenes
salpicando o ar
A serenidade da pétala
com outra pétala, o amor
do estame vertendo
Dois saltos de abelha entre dois lábios
E toda a seda
que vem ao colo do vento.

18/7/2010

Com o poder da mímica

Posted in Uncategorized on Setembro 18, 2010 by jtparreira

Com o poder da mímica

inventarei um outro

que do lado de fora da prisão

dos dedos

encherá a minha solidão

O seu silêncio alegre

em círculos

caminhando, será o vento

que veste as minhas mãos

será um cavalo ou uma estrela

uma mulher num rio

será um outro

que corre de mim

e cresce, move e reina

num sorriso de menino.

16/9/2010 

Blues’s Singer

Posted in Uncategorized on Setembro 18, 2010 by jtparreira

Não podes ficar com essa dor

por cima

do arco das tuas sobrancelhas

a impedir o trânsito

do Amor

não podes ficar com essa dor

qualquer inaudito

que sobe das caves do teu peito

Não podes ficar com esse gume

de faca, que te espeta

o lado esquerdo, sob os seios

não podes arder nessa febre

que adormece nos teus olhos.

 17/9/2010